1º de Maio – Dia internacional de luta dos Trabalhadores

1º de Maio: é hora has 40 horas

Todas as centrais sindicais estão em campanha conjunta para coletar mais de um milhão de assinaturas em abaixo-assinado pela redução da jornada de trabalho sem redução de salário, com um potencial de geração de 2,2 milhões de novos postos de trabalho.Qualquer um pode assinar on-line aqui ou clicar aqui para baixar o formulário (arquivo em PDF de 182 Kb), imprimir, fazer cópia e somar-se à campanha, coletando assinaturas no trabalho, vizinhança, amigos, igreja, etc. Para saber mais sobre a campanha acesse aqui ou aqui.
Todos os trabalhadores brasileiros, na rua, no lar, e trabalhadores aposentados, merecem as honras e homenagens do dia.Há tempos que os brasileiros não viam um 1º de maio como este. Empregos batem recorde, massa salarial aumenta, o Brasil cresce e distribui renda, a economia vai bem, o Brasil vai bem.Mas nada de acomodação. O momento é de aproveitar a força que conquistamos para exigirmos mais. Uma das lutas mais justas e urgente dos trabalhadores é a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas sem redução de salário.
As empresas tem ganhos de produtividade enorme com o avanço tecnológico e da automação. No entanto, todo esse ganho tem sido apropriado apenas pelos donos do capital, sem distribuir a renda. Com isso, reduz a necessidade de mão de obra, e em vez de reduzir a jornada, dispensa-se trabalhadores.
Não podemos continuar com jornadas do século passado. A sociedade avançou, os meios de produção avançaram, e os direitos trabalhistas ficaram parados no tempo.
Para começar a reequilibrar este jogo, as 40 horas de jornada é um passo urgente e indispensável.

Essa conquista trará o efeito de distribuição de renda e recomposição de parte dos postos de trabalhos perdidos.
O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO (Vinícius de Moraes)
(…) Foi dentro da compreensão
Desse instante solitário
Que, tal sua construção
Cresceu também o operário
Cresceu em alto e profundo
Em largo e no coração
E como tudo que cresce
Ele não cresceu em vão
Pois além do que sabia
– Exercer a profissão –
O operário adquiriu
Uma nova dimensão:
A dimensão da poesia.
E um fato novo se viu
Que a todos admirava:
O que o operário dizia
Outro operário escutava.
E foi assim que o operário
Do edifício em construção
Que sempre dizia sim
Começou a dizer não.
E aprendeu a notar coisas
A que não dava atenção:
Notou que sua marmita
Era o prato do patrão
Que sua cerveja preta
Era o uísque do patrão
Que seu macacão de zuarte
Era o terno do patrão
Que o casebre onde morava
Era a mansão do patrão
Que seus dois pés andarilhos
Eram as rodas do patrão
Que a dureza do seu dia
Era a noite do patrão
Que sua imensa fadiga
Era amiga do patrão. (…)
Estrofes do poema de Vinícius de Moraes. Leia o poema completo AQUI
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s