Saúde mental e pública em debate

A revista TEMPO reabre em sua edição o debate sobre a saúde mental em Montes Claros. A cidade que deveria estar apta a adotar o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) nível III, não oferece o serviço.
Outro problema, é que o único hospital psiquiátrico do Norte de Minas, o Prontomente, não atendeu às exigências do Ministério da Saúde e foi descredenciado pelos SUS.
Se houver necessidade para tal tratamento, o doente terá que ser encaminhado para Belo Horizonte.
Outro assunto em questão é sobre o lixão: o que fazer com as toneladas de lixo recolhidas todos os dias pelo sistema público de limpeza, altamente prejudicial ao meio-ambiente? Especialistas apontam a existência de tecnologia capaz de transformar o lixo em energia reaproveitável.
A questão, estaria sobretudo, inserida na boa vontade política, para se buscar uma solução que aconteça antes que o aterro controlado de Montes Claros se esgote. Debate para o presente.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s