Vice acusa Yeda Crusius de usar caixa 2 para “poupança”

O vice-governador do Rio Grande do Sul, Paulo Feijó (DEM) afirmou em depoimento ao Ministério Público Federal, em abril deste ano, que ouviu da governadora gaúcha Yeda Crusius (PSDB) que “campanha é um momento de poupança”. A então candidata ainda teria agregado: “Tu não é deste ramo e está atrapalhando o processo”. Um vídeo com trechos do depoimento de Feijó foi exibido ontem na CPI da Corrupção, da Assembléia Legislativa, que investiga o sumiço de R$ 44 milhões do Detran gaúcho. Majoritários na comissão, os governistas – PSDB, PP, PTB, PMDB e PPS — mais uma vez, deixaram a sala.

Feijó relata ter sido contatado, no primeiro turno das eleições de 2006, pelo tesoureiro da campanha tucana, Rubens Bordini, para receber uma doação da empresa Brasken. Os dois se encontraram no restaurante do hotel Sheraton e, para surpresa de Feijó, Bordini informou-lhe que os recursos já haviam sido encaminhados “para o marido”, referindo-se a Carlos Crusius, então casado com Yeda. “Esse dinheiro foi um dos que não apareceu na campanha”, testemunhou. Feijó ainda observou que recursos levantados pelos coordenadores Francisco Fraga e Lair Ferst também se evaporaram. Teriam entrado no caixa “talvez apenas 10%. O resto desapareceu”.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s